Receba as newsletters da ABEN:
Imagem loading
English

Pesquise uma Notícia

Por Data:

Ver Mais: 1 : 2 : 3 : 4 : 5 : 6 : 7 : 8 : 9 : 10

Ipen/Cnen-SP usa tecnologia nuclear para apoiar ações de combate à pandemia da Covid-19

(14/04/20) Instituto recebeu 1.500 máscaras confeccionadas na Comunidade de Paraisópolis para desinfecção por radiação ionizante; no total, serão produzidas 50 mil unidades


Pesquisador Pablo Vázquez, com Suéli e Maria Nilde, na entrega das 1.500 máscaras
Foto: Edmilson Nazareno

O Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (Ipen/Cnen-SP) segue contribuindo no combate à pandemia do novo coronavírus. Na tarde de segunda-feira (13/04), pesquisadores do Instituto receberam do projeto "Costurando Sonhos", da Comunidade de Paraisópolis, a primeira remessa de 1.500 máscaras para desinfecção utilizando radiação gama proveniente de Cobalto-60.

A parceria vai possibilitar a desinfecção das 50 mil máscaras que serão produzidas pelo projeto e distribuídas na própria comunidade, para que os moradores possam recebê-las e utilizá-las com total segurança. Todas as segundas-feiras serão levadas ao Instituto 1.500 unidades.

Segundo Suéli Feio, uma das idealizadoras do projeto, o acondicionamento das máscaras foi feito de acordo com as orientações do Ipen/Cnen-SP. As máscaras serão desinfectadas no Irradiador Multipropósito de Cobalto-60 do Instituto.

A esterilização de produtos para cuidados com a saúde por radiação ionizante atende à norma ISO 11137 e é uma das principais atividades do Ipen/Cnen-SP, por meio do seu Centro de Tecnologia das Radiações (Ceter).

O Instituto participa de uma rede coordenada pela Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) e tem apoiado iniciativas de combate à pandemia atuando em várias frentes, sendo o processamento por radiação ionizante um dos serviços mais procurados.

Suéli e Maria Nilde Santos, a outra idealizadora do projeto, entregaram as caixas com as máscaras ao pesquisador Pablo Vásquez, responsável pelo Irradiador Multipropósito de Cobalto-60 e gerente de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação do Ceter.

Esta iniciativa de ação social do Ipen/Cnen-SP foi apoiada pelas pesquisadoras Margarida Mizue Hamada, gerente do Ceter, e Isolda Costa, diretora de Pesquisa e Desenvolvimento do Instituto, e recebeu o aval do superintendente do Ipen, Wilson A. Calvo.

A grande vantagem da radiação gama proveniente do Cobalto-60 é que é uma radiação cuja energia está abaixo do limiar de ativação da maior parte dos elementos. "Os objetos expostos à radiação gama na nossa instalação não têm contato com o cobalto-60 e não se tornam radioativos", explicou Vásquez.

Além da esterilização e desinfecção de dispositivos médicos e de proteção individual, o Ipen/Cnen-SP pode apoiar irradiando materiais para serem reutilizados em caso de haver escassez, como ocorreu em países europeus, de acordo com Vásquez.

"Tudo indica que a crise provocada pela pandemia da Covid-19 levará à falta de insumos na área médico-hospitalar, especialmente no que se refere a máscaras cirúrgicas e máscaras do tipo PFF1-2-3 (N95, Peça Facial Filtrante) feitas com polímeros e filtros específicos. Com o processamento por radiação ionizante, o reuso será seguro", afirmou Vásquez.

O projeto - "Costurando Sonhos" é uma iniciativa da Associação de Mulheres de Paraisópolis e tem como objetivo capacitar em corte e costura mulheres em extrema vulnerabilidade social e algumas com histórico de violência doméstica. Quarenta mulheres foram certificadas pelo Senai-SP, que equipou e instalou uma sala de aula na comunidade.

No final de 2019, foi lançada a marca "Costurando Sonhos Brasil" e até um desfile na São Paulo Fashion Week (SPFW 2019). Mas, com a pandemia, veio o desafio de manter a equipe trabalhando em casa.

A confecção das máscaras só foi possível graças à atuação de vários parceiros, entre eles a União dos Moradores do Comércio de Paraisópolis, G10 das Favelas e equipe do SPFW, que conseguiram doações de tecidos. Além disso, algumas empresas concordaram em não cancelar os pedidos, o que garantiu salário de dois meses de toda a equipe trabalhando em casa.

Suéli ressalta que a colaboração com o Ipen chega "num momento muito difícil em que a gente está lidando com a morte". "O Ipen fecha esse ciclo nos dando segurança. Vai chegar o produto feito com muito carinho, bom material e, principalmente, esterilizado e seguro", ressaltou.

Ela conheceu o trabalho do Ipen/Cnen-SP por intermédio da pesquisadora Mariana Moura, que integra o movimento Cientistas Engajados, cujo objetivo é constituir uma bancada do conhecimento nas instâncias formais da política brasileira. Segundo Suéli, Moura é "amiga da comunidade".

"Apesar de terem sido atacadas no último período, a realidade é que nossas universidades e instituições de pesquisa estão ajudando milhões de brasileiros, seja produzindo soluções mais rápidas para testar os pacientes suspeitos, seja pesquisando novos medicamentos e vacinas, seja, como nesse caso do Ipen, utilizando seus equipamentos para esterilizar máscaras que serão distribuídas nos bairros pobres de São Paulo", comentou Moura.

Suéli não vê a hora de começar a distribuir o material entre os moradores. "No momento que eu entregar as máscaras, vou dizer: 'Podem usar com segurança'. Como mencionei, essa parceria com o Ipen é muito importante para nós, ela fecha o ciclo, e a gente espera que isso ajude muito a nossa comunidade. Temos muitas famílias de sete, oito pessoas morando em dois cômodos, que ainda têm que trabalhar. Se não fosse o Ipen, a gente não conseguiria", concluiu.

Fonte: Assessoria de Comunicação Social da Comissão Nacional de Energia Nuclear (Cnen)

Associação Brasileira de Energia Nuclear

Rua Candelária, nº 65, 14º andar - Centro, Rio de Janeiro (RJ) - CEP 20.091-906 / Tel: (21) 2266-0480 / (21) 2588-7000 - ramal 4721