Receba as newsletters da ABEN:
Imagem loading
English

Pesquise uma Notícia

Por Data:

Ver Mais: 1 : 2 : 3 : 4 : 5 : 6 : 7 : 8 : 9 : 10

ABEN - CARTA ABERTA AO SETOR ENERGÉTICO

Esta carta é escrita num momento que só pode ser descrito como desafiador. A ABEN, Associação Brasileira de Energia Nuclear, quer por meio desta assegurar que a energia nuclear, em todas suas diversas aplicações, faça parte das questões estratégicas pós-pandemia e contribua adequadamente para o futuro sustentável para o qual estamos trabalhando.

Muito antes dessa pandemia, o mundo já sentia a necessidade de mais eletricidade com baixo teor de emissão de carbono e, apesar dos tempos difíceis à frente, é da maior importância que continuemos trabalhando para alcançar esse objetivo. A ABEN considera que o desenvolvimento da energia nuclear faz parte da maneira comprovada de criar energia de baixo carbono e preço acessível, bem como criar empregos e cadeias de fornecimento locais e de longo prazo de alto valor.

Em muitas partes do mundo a energia nuclear é a principal responsável pela energia limpa, e cria e mantém muitos empregos, tornando a indústria nuclear uma parte crucial do futuro sustentável que todos procuram construir. A crise atual, no entanto, veio reforçar a importância de que as usinas nucleares forneçam energia de carga de base confiável, acessível e constante para um mundo com necessidades crescentes, além de ajudar a fortalecer a segurança energética nos futuros tempos de incerteza.

Em resposta à atual crise econômica, grandes planos de estímulo ao emprego e à recuperação econômica têm sido propostos pelos governos. O Secretário-Geral da ONU sugeriu o desenvolvimento de economias mais fortes e sustentáveis para construir um mundo melhor, e com o Secretário-Geral da OCDE solicitou um "Plano Marshall Global". Esse fato oferece oportunidades significativas para a indústria nuclear.

Assim, o objetivo do projeto Harmony estabelecido pela World Nuclear Association (WNA), o qual propõe que a energia nuclear represente 25% de toda a matriz de energia elétrica global até 2050, o que requer a construção de uma nova capacidade nuclear de 1000 GWe nos próximos 30 anos, torna-se mais importante do que nunca. Para isso, é preciso acelerar os investimentos de longo prazo em infraestrutura para o desenvolvimento sustentável. Também é necessário, que os governos de todo o mundo acelerem a conclusão dos 439 reatores atualmente em construção, planejados e propostos para serem construídos, dentre os quais se inclui Angra 3. Esses projetos ofereceriam um impulso significativo a empregos de alta qualidade e impulsionariam a recuperação econômica.

Este deve ser um esforço conjunto para o setor nuclear, buscando o alinhamento com organizações globais como a OCDE-NEA e com muitos de nossos parceiros ao redor do mundo para influenciar os formuladores de políticas. Deve-se garantir que a indústria nuclear esteja na vanguarda, oferecendo soluções econômicas que liderem o caminho na batalha contra a recessão global que se avizinha e deve ser ultrapassada, fornecendo maneiras de salvaguardar a transição energética quando o governo precisar fazer suas escolhas de investimento.

A ABEN apresenta aqui um caso crucial para os formuladores de política energética, contribuindo para a recuperação econômica pós COVID-19. Juntos, garantiremos que o poder do átomo seja uma parte essencial do futuro. Continuaremos apoiando seus empreendimentos e, juntos, emergiremos com uma indústria de energia ainda mais forte, com a energia nuclear sendo parte de uma solução integral para muitos dos desafios e oportunidades que teremos pela frente.

Com os melhores cumprimentos da Direção da ABEN.

Rio de Janeiro, 10 de abril de 2020.

Associação Brasileira de Energia Nuclear

Rua Candelária, nº 65, 14º andar - Centro, Rio de Janeiro (RJ) - CEP 20.091-906 / Tel: (21) 2266-0480 / (21) 2588-7000 - ramal 4721