Dissertação de Mestrado de estudante do IEN aborda Realidade Virtual para implantação de um centro de radiofarmácia

(29/01/20) Na manhã da última sexta-feira, dia 24, ocorreu, no Instituto de Engenharia Nuclear (IEN/Cnen), no Rio de Janeiro, a defesa da dissertação "O Uso da Realidade Virtual para Implantação de um Centro de Radiofarmácia em Serviço de Medicina Nuclear", da aluna Mônica de Aquino Assis, sob orientação dos professores doutores Antônio Carlos de Abreu Mól e Julio Cezar Suita.

Com o objetivo de propor e avaliar a utilização da tecnologia de Realidade Virtual (RV) para treinamento e capacitação dos profissionais em uma radiofarmácia, a mestranda informou que a especificidade das atividades da radiofarmácia, o fluxo operacional de produção dos radiofármacos, os riscos associados, a avaliação de cumprimentos de procedimentos e normas (da Comissão Nacional de Energia Nuclear - Cnen e da Agência Nacional de Vigilância Sanitária - Anvisa) e a proposta de um treinamento foram as motivações de sua pesquisa.

O trabalho demonstrou o potencial do uso de ferramentas de Realidade Virtual na Medicina Nuclear, tendo em vista que ela promove imersão, interatividade e envolvimento. Segundo Mônica, após a análise dos resultados obtidos, conclui-se que o uso da Realidade Virtual, por meio de simulador, permitiu criar um ambiente gráfico de aparência realística, no qual o usuário pode navegar e manipular o mundo virtual. Desse modo, o estudo mostrou que o sistema pode ser usado no auxílio do planejamento e no treinamento de profissionais de uma radiofarmácia.

Mônica Assis, que é farmacêutica, contou que sua pesquisa surgiu a partir do momento em que refletiu sobre diversos problemas que enfrenta no Hospital Quinta D'Or, onde trabalha, e que pôde ser desenvolvida por dispor do Laboratório de Realidade Virtual do IEN e da orientação dos professores Mól e Suita. "O laboratório conseguiu contribuir com os anseios que eu e colegas de trabalho temos e trouxe esse ambiente virtual como uma forma de treinamento e de capacitação de profissionais que atuam ou que irão atuar na área de radiofarmácia. Usei como base dois centros de radiofarmácia de referência na cidade do Rio de Janeiro", relatou.

Após ser aprovada no Mestrado Acadêmico em Ciência e Tecnologia Nucleares do IEN, Mônica Assis declarou que deseja desenvolver mais essa ferramenta em um Doutorado no Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (Coppe/UFRJ), explorando, por exemplo, a simulação de um eventual acidente em um centro de radiofarmácia no ambiente virtual.

Realidade Virtual no IEN - Criado em 2005, o Laboratório de Realidade Virtual Imersiva do IEN (LabRV) atua no desenvolvimento de produtos que aplicam as técnicas de Realidade Virtual em problemas relacionados à produção e utilização da energia nuclear e radiações ionizantes. Saiba mais sobre a instalação aqui.

Foto: Bernardo Mendes Barata

> Matéria Seguinte Voltar ao Topo Ir para Fonte Nuclear