Abdan leva propostas do setor nuclear aos presidenciáveis com medidas que podem criar milhares de empregos

(10/09/18) O Brasil já está vivendo o clima das eleições de outubro. O setor empresarial, por sua vez, se movimenta para levar seus pleitos aos presidenciáveis. No caso da indústria nuclear, a Associação Brasileira para Desenvolvimento de Atividades Nucleares (Abdan), que reúne as principais companhias desse segmento, elaborou uma série de propostas para os candidatos ao Palácio do Planalto. As medidas incluem a conclusão de Angra 3, a construção de quatro novas usinas e a criação de um programa de Estado para o setor. Essas ideias não beneficiariam apenas o mercado nuclear, mas trariam também ganhos para todo o Brasil. "Cada usina dessa gera, no pico, até 9 mil empregos diretos. Olhando para a cadeia indireta, e multiplicando por aquele fator consagrado de 3,6, estamos falando de 36 mil empregos diretos e cerca de 140 mil indiretos. E isso apenas na área de geração", afirmou o presidente da Abdan, Celso Cunha. Além disso, a construção de novas centrais também vai ajudar na redução dos custos na energia elétrica. "Imagine que coloquemos Angra 3 e mais quatro usinas em operação, podemos ter um impacto (desconto) de 7,5% no preço da tarifa média, o que é muita coisa", acrescentou.

Leia a entrevista aqui.

Fonte: Petronotícias - RJ

> Matéria Seguinte Voltar ao Topo Ir para Fonte Nuclear