Angra 1 é religada após reabastecimento de combustível

(16/10/2017) Neste domingo (15), às 23h49, Angra 1 voltou a gerar energia para o sistema elétrico nacional. A unidade estava desligada desde 19 de agosto para reabastecimento de um terço do combustível nuclear. O retorno à operação aconteceu dois dias antes do combinado com o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS).

Este ano, a duração da parada foi maior do que o usual devido à troca dos transformadores principais, que conectam Angra 1 às linhas de transmissão. Outros destaques foram os reparos na turbina de alta pressão, a troca das cunhas do gerador elétrico principal e uma revisão na bomba de água de circulação do reator.

O superintendente de Angra 1, Abelardo Vieira, ressalta que todos os objetivos foram cumpridos com sucesso. "É preciso muito planejamento e organização para que tudo dê certo. Ainda mais em uma parada longa como essa, que envolveu a troca dos transformadores, um procedimento bastante complexo. Mas, graças à competência e à dedicação dos nossos profissionais, obtivemos êxito", comenta.

No total, foram realizadas quase 4,5 mil tarefas que precisavam ser feitas com a usina desligada. Para efetuá-las, foram contratadas firmas nacionais e internacionais, que mobilizaram em torno de 1,4 mil profissionais, sendo 99 estrangeiros, para dar suporte aos profissionais da Eletronuclear.

Sobre a empresa

Subsidiária da Eletrobras, a Eletronuclear é a responsável por operar e construir as usinas termonucleares do país. Conta com duas unidades em operação na Central Nuclear Almirante Álvaro Alberto (CNAAA), com potência total de 1.990 MW. Hoje, a geração nuclear corresponde a 3% da eletricidade produzida no país e o equivalente a um terço do consumo do Estado do Rio de Janeiro.

Fonte: Assessoria de Comunicação Social da Eletrobras Eletronuclear

> Matéria Seguinte Voltar ao Topo Ir para Fonte Nuclear